Ciúme excessivo e agressividade

Atualizado: Jul 24

Ciúme excessivo, possessividade, agressividade e relação abusiva


Quem nunca sentiu um ciumezinho, não é mesmo? Mas uma coisa é aquela pitada de ciúme saudável, que qualquer um pode sentir pela parceria, amigos e familiares. O problema começa quando o ciúme toma novas formas, podendo até ser doentio e levar a quadros patológicos.


O ciúme surge quando há uma ameaça ao relacionamento - real ou não - gerando insegurança e medo no ciumento.


Quando há uma causa concreta e o sentimento é transitório e controlado, tudo bem. Mas quando o sentimento é recorrente, causa sofrimento tanto para si como para a parceria ou outros envolvidos, e é desmedido e infundado, é preciso ligar o sinal de alerta, pois o ciúme excessivo pode estar se transformando em algo doentio.


O quadro se agrava se o ciúme se soma ao sentimento de possessividade - se mexe nas coisas da parceria, vasculha celular e redes sociais, tenta controlar suas amizades, para onde vai, com que roupa, controla todos os passos e questiona tudo a toda hora, podendo até mesmo chegar a um quadro de paranoia. Daí é um passo para começar a demonstrar reações agressivas e tornar o relacionamento abusivo.



O que o ciumento nem sempre se dá conta, ou não consegue controlar, é que essas atitudes só prejudicam ainda mais a saúde da relação.


Tanto o ciumento doentio como a vítima desse ciúme podem ficar muito machucados psicologicamente (sem contar outras consequências graves, como casos de agressão física).


A terapia, individual ou de casal, vai ajudar a pessoa ciumenta a assumir e entender as raízes desse sentimento - podem ser traumas de relacionamentos passados, baixa autoestima, dentre outros fatores - e treinar seu autoncontrole, além de melhorar a saúde da relação.


Você já lidou com alguém muito ciumento?

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo